Cobrar dívidas é uma Arte

cobrança

Na hora de conquistar um novo cliente as empresas geralmente solicitam que o departamento comercial faça de tudo, prometem mundos e fundos, se propõem até a visitar o cliente em casa e resolvem qualquer possível problema que possa prejudicar a sua venda em questão de segundos.

Isso pode até impressionar o cliente num primeiro momento, mas depois que o produto ou serviço já foi adquirido, a coisa começa a mudar de figura.

O que acontece depois da Venda?

O vendedor desaparece e os funcionários já não são tão ágeis na resolução dos problemas, várias coisas que foram prometidas no ato da compra não passavam de mera ilusão e é aí que o consumidor começa a ver onde se meteu.

Existem, sim, muitas empresas corretas que de fato se preocupam com o bem-estar de seus clientes, entretanto, a verdade é que a maioria delas só pensa em lucrar, mesmo que seja necessário deixar a ética de lado.

Infelizmente, quando o consumidor percebe que entrou nesse tipo de roubada e começa a conhecer a verdadeira face da empresa, geralmente já é tarde demais.

Às vezes é uma cláusula mal explicada, uma cobrança extra da qual o consumidor não tinha conhecimento, atrasos na entrega de algum produto ou na prestação de um serviço, enfim, dor de cabeça na certa.

Mas, pior ainda do que passar por essas situações é ficar com débitos para uma empresa desse tipo, pois elas não tem dó na hora de cobrar, não interessa se o cliente está desempregado, passando por uma situação difícil. A empresa quer o dinheiro custe o que custar.

Cobrar Dívidas: Táticas abusivas de Cobrança:

São muitas e erradas as formas que as empresas encontram de cobrar seus clientes. Além de constranger clientes devedores, existem empresas que, para se “prevenir” de que os clientes deixem de arcar com seus compromissos, enviam para eles um comunicado que mais parece uma ameaça avisando que se ele não efetuar o pagamento até a data ‘x’ a empresa colocará seu nome em órgãos de proteção ao crédito, como SPC.

Detalhe: algumas dessas empresas fazem isso sem que o cliente esteja devendo.

Em meio a tantas práticas abusivas, o consumidor tem como se defender e defender seus direitos através do Código de Defesa do Consumidor. A prática abusiva na cobrança de dívidas, por exemplo, é proibida, segundo os Artigos 42 e 71 do CDC (Lei 8.078/90). Veja:

Art. 42. Na cobrança de débitos, o consumidor inadimplente não será exposto a ridículo, nem será submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça.

Parágrafo único. O consumidor cobrado em quantia indevida tem direito à repetição do indébito, por valor igual ao dobro do que pagou em excesso, acrescido de correção monetária e juros legais, salvo hipótese de engano justificável.

O artigo 71 é mais objetivo ainda porque estabelece o caráter criminal neste tipo de procedimento, veja texto na íntegra:

Art. 71. Utilizar, na cobrança de dívidas, de ameaça, coação, constrangimento físico ou moral, afirmações falsas incorretas ou enganosas ou de qualquer outro procedimento que exponha o consumidor, injustificadamente, a ridículo ou interfira com seu trabalho, descanso ou lazer: Pena: Detenção de três meses a um ano e multa.

Todo consumidor tem o dever de pagar seus débitos, entretanto, isto não proporciona ao credor ou aos seus representantes o direito de agir da forma que bem entender em detrimento aos direitos e obrigações do cidadão!

Se você gostou do nosso conteúdo deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos!

Tenha um ótimo dia! =) 

Emanuel Gonçalves
Emanuel Gonçalves
Emanuel Gonçalves é Fundador do blog SOS Dividas, especialista com mais de 20 anos no mercado como consultor financeiro, também Autor do Ebook " Como Negociar Dívidas" que vem ajudando milhares de Brasileiros a saírem do vermelho e reestrutura sua vida financeira.

Gostou? Deixe o Seu Comentário!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *