Dívidas com Bancos Faz Crescer Inadimplência nos Condomínios

dívidas-condominios

Não poderia ser diferente, a crise econômica vem afetando substancialmente os condomínios em todo Brasil com aumento da inadimplência…


Os Síndicos e as Administradoras de Condomínios estão cada vez mais recorrendo a justiça na tentativa de equilibrar as receitas para recuperação dos valores vencidos nas taxas de condomínios, devido ao elevado volume de atrasos.

Nesta fase de crescimento da inadimplência, os balanços são fechados no vermelho na grande maioria das situações, as contas deixam sempre saldos pendentes tanto nos prédios comerciais como residenciais e a saída vislumbrada é a tentativa de redução das pendências existentes nas taxas de condomínios vencidas através de recursos judiciais.

Priorizar Pagamentos Primeiro aos Bancos ou Condomínios?

O que precisa ser percebido é que a maioria dos condôminos com inadimplência, com certeza, estão deixando de honrar suas taxas devido ao acúmulo de dívidas contraídas junto ao sistema financeiro.

O sistema financeiro é bastante articulado no assédio a estes consumidores, os Bancos, Financeiras e Administradoras de Cartões de Crédito criam toda uma intensidade na abordagem para cobrar dívida, proporcionando desta forma que os consumidores priorizem a utilização de suas receitas para realizar o pagamento dessas contas e deixam acumular as taxas de condomínios e outras despesas.

Mas isto não acontece de forma direta, objetiva e sim de forma imperceptível, através da pressão, do assédio com telefonemas, cartas de cobranças a todo instante e do risco do nome sujo na praça.

Esse conjunto de atuações levam as pessoas a priorizar primeiro o pagamento dos bancos e terceiros, dividas de condomínios, água, luz, telefone, ficam em segundo plano.

Taxas de condomínios, seja residencial ou comercial, são fundamentais para o bem estar na subsistência e administração no dia a dia dos síndicos em todo Brasil, portanto, os condôminos deveriam sim, priorizar esses pagamentos e não aqueles que envolvem dívidas com Bancos, Cartões, Financeiras, etc.

Campanhas para Regulamentação

Por sua vez tanto os síndicos como principalmente as administradoras de condomínios deveriam promover com muito mais freqüência campanhas com promoções, redução nos valores dos juros acrescidos nestas taxas e principalmente uma conscientização junto aos condôminos para estimular o pagamento das dívidas.

Precisam se organizar e promover abordagens com atrativos que motivem a mudança neste paradigma, assim, certamente uma grande fatia de quem se encontra nesta situação iria aderir a estas campanhas.

Priorizar o bem estar da família, pode criar um portal com vídeos, conteúdos e até testemunhos aonde de certa forma venha ajudar o condômino com inadimplência reformular suas prioridades no pagamento de dívida.

Claro que é obrigação de cada um pagar e cumprir com seus compromissos, isso é elementar, mas, infelizmente na prática toda está orquestração que envolve o dia a dia das pessoas, leva muita gente a um comportamento que necessita receber essa conscientização para mudar sua postura de vida.

Se você deseja aprender mais sobre como negociar dívidas, melhorar a sua situação financeira e ter a oportunidade de se tornar um Especialista em Dívidas acesse o link abaixo e conheça o nosso Ebook. Um conteúdo exclusivamente para pessoas que desejam ter equilíbrio financeiro e prosperidade em suas vidas. sair das dívidas

Se você gostou do nosso conteúdo deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos!

Tenha um ótimo dia! =) 

 

Emanuel Gonçalves
Emanuel Gonçalves
Emanuel Gonçalves é Fundador do blog SOS Dividas, especialista com mais de 20 anos no mercado como consultor financeiro, também Autor do Ebook " Como Negociar Dívidas" que vem ajudando milhares de Brasileiros a saírem do vermelho e reestrutura sua vida financeira.

Gostou? Deixe o Seu Comentário!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *